Please do not forget you while loving me.

tumblr_lcts1uabbs1qf77iio1_500

 

Clique aqui, para ouvir Say You Love Me – Jessie Ware. Enquanto lê 🙂

Ouça me bem amor, eu não quero que você concorde comigo o tempo todo, pelo contrário, quero que você me desafie. Me faça perceber que toda situação tem dois lados, e que mesmo que meus argumentos sejam convincentes, eu posso estar tomando a direção errada. Por favor amor, me faça perceber que não preciso estar no controle o tempo todo, e que nessa ânsia de querer sempre fazer a coisa certa, eu posso acabar fazendo o errado sem ao menos perceber. Ouça me bem amor, eu não quero que você fique sempre. Sim, eu quero que você também saiba como é ir embora. Como é a sensação de saber que no dia seguinte tudo estará normal, e que tudo bem, cada um ter o seu espaço. As vezes tudo que precisamos é da companhia de nós mesmos, aquele tapinha nas costas em dias difíceis que só a nossa própria solidão, é capaz de nos dar. Aprenda os dois caminhos, e me faça aprender também. Por favor amor, não fique quando precisar ir embora. Mas volte sempre, mesmo que não precise voltar.

Ouça me bem amor, eu não quero ouvir sempre o que eu espero. Quero que você me diga o que é amargo dizer, até mesmo para você.  Quero o imprevisível. Sim, eu sei que posso não gostar do que vou ouvir, mas algumas verdades, só enxergamos quando o olhar de outra pessoa nos conta como é visto de fora. Me tire a razão. Discuta comigo, quando a minha teimosia me cegar.  E seu perder o controle sobre o real motivo daquela situação, não me deixe nadar por aí sem destino, me afastando cada vez mais do porto e entrando cada vez mais na confusão do mar aberto. Por favor amor, me deixe ancorar no lugar certo. Ouça me bem amor, eu não quero que você me ame pelo que eu era quando nos conhecemos. Aquela era apenas uma prévia da confusão em pessoa que eu sou por completo. Vê essa bagunça? E todos esses sentimentos e coisas fora do lugar? Essa sou eu. É essa pessoa que você deve saber como é amar. As vezes posso me afastar tanto daquela garota doce e despreocupada com quem você esbarrou naquele dia, mas ainda sou eu aqui. Com toda essa confusão, esses problemas e o sorriso já esquecido. Por favor amor, me relembre da leveza daquele nosso riso compartilhado, não me deixe perder o jeito, perder a essência de quem encontra uma brecha para fugir do que é atraso, do que é pesado. Me ensine a voar outra vez.

Ouça me bem amor, eu não quero que você me traga flores no nosso aniversário de namoro. Nem espero que você fique marcando calendários com os nossos “primeiros” momentos, primeiro beijo, primeiro encontro. Deixe essa mania de nos fazer virar lembranças para lá. Eu quero que você me dê flores em dias comuns, quando pensar em mim e de alguma forma eu te lembrar um girassol que você viu na vitrine daquela floricultura do centro da cidade. Quero a flor do campo arrancada com raiz e pressa naquele nosso passeio de final de tarde, quero a surpresa dos momentos instantâneos. Não quero nada preparado. Não quero nenhum tipo de romantismo surrado e declarações constrangedoras em público. Eu só quero a simplicidade da nossa comemoração despretensiosa de quem curte muito a companhia um do outro, e que isso por si só, já é um “baita” de um presente. Por favor amor, não estrague o momento com toda essa preparação. O que é ensaiado é tão chato. O melhor da vida, é sem dúvidas o improviso.

Ouça me bem amor, eu não quero que você deixe seus amigos. Sabe aquele futebol de toda quarta? Então, se ele coincidir com a pré estreia daquele filme no cinema, não pense duas vezes: vai logo para o futebol. Eu não quero ser o seu impedimento de toda quarta. Não quero ser a sua desculpa de “hoje não vai dar”, hoje vai dar sim. Para amar uma pessoa, você não precisa deixar de viver a sua vida e embarcar na viagem que é viver a dela. Isso é tolice. E em hipótese alguma deixar de ser você é amor. Eu não quero que você esqueça de quem era antes de me conhecer, mas quero que sempre lembre de como é bacana não perder a própria essência só por amar alguém. Não é preciso abdicar da liberdade ao deixar de ser sozinho. A liberdade também pode ser sinônimo de companhia, e quando somadas essas duas coisas, acredite o resultado é sempre duas pessoas felizes. Não há como fugir disso. Por favor amor, seja livre. Me ame, mas não deixe de amar tudo que sempre amou. O amor é tão plural, a gente é que bobeia de fazer dele algo singular e tão chato.

Ouça me bem amor, você não precisa e não deve amar até os meus defeitos. Eu não quero que você ame meus momentos fúteis, minha falta de solidariedade, meu sarcasmo e meu mau humor. Não tente embelezar meu pior lado, dizendo que meus dias sombrios são fofos. Mau humor nunca foi fofo, e ninguém merece aturar alguém de cara fechada o tempo todo. Odeie meus defeitos, o mesmo quanto eu os odeio. Me ajude a abrir todas as janelas em mim e deixar a luz entrar, quando esses dias sombrios me tomarem por inteiro. Me diga o quanto estou sendo chata, tentando medir sentimentos baseados em ciúmes. Não me deixe vagar por estradas que eu não percorreria se estivesse em meus melhores dias. Aceite meus defeitos, como eu os aceito. Mas, por favor amor, não diga que os admira e não os enalteça em mim. A perfeição não é meta para ninguém, ou pelo menos não deveria ser, a julgar que todos nós temos defeitos e muitos. Mas, ter defeitos também nunca foi motivo de orgulho e empoderamento. Por isso, aceite os meus. Me ajude a corrigir alguns, na mais sincera amizade de quem é do outro tanto quanto o outro é seu, querer o bem. Não mudar, apenas melhorar, querer bem o outro.

Ouça me bem amor, eu não quero que você se anule só para me deixar existir em você. Você precisa preencher a sua vida apenas com o meu amor, não precisa moldar a sua personalidade e os seus dias, para ficarem parecidos com os meus. Na diferença que nos une, a mesmice seria uma incompatibilidade. Eu me apaixonei por você, sabendo de toda extensão que a sua personalidade poderia alcançar, sabendo dos seus dias ruins, sabendo das suas tristezas, e dos seus melhores sorrisos. Eu me apaixonei pelo todo. E seria machucar a mim e a você mesmo, tentar fazer você se apaixonar por algo que não é o todo em mim. Eu sou a bagunça que você não precisa amar, mas que você ama mesmo assim. Eu sou a garota com quem você esbarrou naquele dia, e tantas outras formas que eu assumi no nosso dia a dia até então. Por favor amor, não se anule só para me deixar existir em você. Amar alguém é perceber que em alguns momentos, tal pessoa nem sequer mereceria nosso amor, mas a gente ama mesmo assim. Porque isso é amor, algo sem explicação, sem lógica e as vezes até um tanto masoquista. Mas amor também é respeito e cumplicidade, por isso quero que me mostre o caminho de volta, sempre que eu ultrapassar os limites impostos, e me distanciar de você. Por favor amor não se anule, apenas ame a mim e a você, na mesma medida, sem favorecer nenhum dos dois lados.  Seja você em você e me deixe ser em mim mesma, só assim seremos eu e você. Não há porque transformar dois em um, tem amor em dobro se nos deixarmos ser dois. ❤

Anúncios

Diz aí que eu te escuto

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s