Hey boy, believe me. I definitely don’t need you.

381236_149239055178163_127813537320715_169006_1772397894_n

Clique aqui, para ouvir You Need Me, I Don’t Need You. – Ed Sheeran. ❤

Depois de ver todos os garotos por quem eu me apaixonei, não se apaixonarem por mim de volta. Depois de ver todos os garotos por quem eu me apaixonei, namorando outras garotas em menos de um mês. Depois de ver todos os garotos por quem eu me apaixonei, estragando as minhas músicas preferidas com suas lembranças tolas. Depois de ver todos os garotos por quem eu me apaixonei, borrando minha maquiagem com lágrimas idiotas. Depois de ver todos os garotos por quem eu me apaixonei, me afastando dos meus amigos. Depois de ver todos os garotos por quem eu me apaixonei, me fazendo virar uma detetive digital, especializada em se auto machucar. Eu parei.

Parei de pensar que o grande motivo para tudo isso, fosse eu. Parei de procurar defeitos que nem sequer existiam em mim. Parei de procurar por respostas. Parei de tentar entender, o que talvez não foi, nem nunca será feito para entender. Parei de querer tentar mudar o corte de cabelo, ou quem sabe emagrecer um ou dois quilos a mais, tudo para que eles me notassem, tudo para que percebessem na “nova eu”, a grande burrada que acabaram de cometer. Eu parei. Parei de me importar tanto. Parei de evitar os meus lugares de sempre para não acontecer o encontro. Parei de deixar minhas músicas de lado, elas são as minhas músicas preferidas, a minha trilha sonora, não é preciso mais ninguém. Parei de chorar pelos cantos.

Parei de procurar por culpados, não existem culpados. Parei de evitar o espelho, de me deixar de lado, de me deixar para depois. Eu sou o agora. Sou a garota que se arruma para si mesma quando sai de casa, sou a garota que usa batom vermelho quando bem entende. Sou a garota que não precisa de metades para preencher vazios, simplesmente por não existir vazio algum dentro de si. Eu me permiti ser completa, completa por mim mesma. Me permiti reconhecer minhas qualidades, admirar minha beleza, aceitar minhas imperfeições e principalmente, não me contentar com migalhas. Parei de mendigar amor. Parei de implorar por atenção e correr atrás de alguém que a cada passo, parecia ainda mais distante de mim. Eu parei de esperar tanto das pessoas.

Parei de desejar chegar “lá em cima” só para poder ser vista por quem nunca olhou antes na minha direção, na mesma direção que eu. Parei de colocar nos meus objetivos pessoais, desejos bobos de mostrar aos outros que, sim… Eu consegui chegar lá e sozinha. Eu apenas decidi por mim, é por mim que eu quero chegar lá. Parei de confiar em palavras adocicadas, que boa parte do tempo foram apenas, palavras. Parei de mergulhar de cabeça em superfícies rasas. Parei de me deixar em segundo plano, para colocar em primeiro, alguém que jamais faria o mesmo por mim. Parei de esperar. A vida passa tão depressa, não tem porque ficar sempre esperando. Esperando alguém que nem sequer sei, se vai um dia chegar para ficar, ou se vai ser apenas uma visita curta. O tempo corre, e na espera a gente fica para trás. Parei de ficar para trás.

Parei de tentar compartilhar meus sonhos, como se agora eles pudessem ser públicos, eles não são. São sonhos particulares. São meus sonhos e de mais ninguém. Eu parei de procurar. Sim, procurar nas pessoas algo que eu só encontraria em mim mesma, amor próprio. Eu tentava desesperadamente ser aceita, provar para mim mesma que se alguém era capaz de me amar, então eu era sim, uma boa garota. Mas a verdade é que eu sou uma boa garota, independente do amor de outra pessoa. Eu passei a me aceitar. Assim como aceitei cada um dos meus atalhos, dos meus desvios, dos meus tropeços, das minhas paradas, dos meus “quase” amores eternos. Em eternos que tantas vezes não passaram de dias ou semanas. Amores tão superficiais, pessoas tão superficiais. Um contraste e tanto comparados a mim, de personalidade e sentimentos sempre tão profundos e inesgotáveis.

Eu parei. Parei de me lamentar e comecei a me amar mais. A maior coragem de todas, é se assumir intensa em um mundo cada vez mais “água com açúcar. Sim, é preciso ter coragem de acordar todos os dias e viver a sua intensidade. Tantas vezes é só você com você mesma. Alguns dias, você pode até ter a estranha sensação de que ninguém te entende de verdade, e talvez não entendam mesmo. Mas que parte disso é ruim? Não é ruim. Ser incompreendida é parte da essência de quem se permite ser diferente da maioria. Superfícies rasas, “pessoas lagos”, jamais entenderam o quão profunda uma “pessoa mar” pode ser. Eles não entendem a grandiosidade, a tormenta e a beleza escondida por detrás, de ser quem você é. Ser diferente não é defeito, é seleção. E isso não significa em hipótese alguma que todos esses seus “amores errados”, são consequências de escolhas melhores que você.

O amor não é concurso, em que só um competidor é capaz de vencer. Não, o amor é para todos. E não garota, o problema não é você. São os amores, os amores errados, eles sim são o problema. Eles são errados e isso é tudo que você precisa saber. Vai chegar um dia, e por mais clichê que isso possa parecer, a verdade é que quando esse tal dia chegar, você vai perceber que alguns amores, podem ser certos. Veja só. Tão certos que te farão esquecer de cada amor errado do passado. Dure o tempo que durar. Alguns, sempre mais eternos do que outros. O importante é que o certo jamais vai roubar nada de você. Nem a sua música preferida, nem o lugar que mais gosta na cidade, nem a sua autoestima, e muito menos o seu amor.

Ele não vai roubar nada disso. Pelo contrário, vai merecer, o amor e todas as outras coisas, vai complementar alguém que por si só já é inteira. Por isso, não se culpe tanto. Não assuma tanto crédito assim, por todos esses fracassos amorosos. Não tente ser sol, de alguém que nasceu para ser lua. São momentos diferentes, vidas diferentes, pessoas estranhamente diferentes que jamais se encaixarão em você. Não tente mudar você mesma. Seja quem você é. Assuma esse risco. Aceite a sua intensidade e não sinta pena de si, só por ter errado uma, duas, três, quatro, dez vezes ou mais. Todos esses caminhos errados, no fim acabam te rendendo no mínimo amadurecimento. E um dia você vai entender que só é digno de pena, quem não teve a sorte e a ousadia de combinar tanto com você, a ponto de dar certo. De fazer dar certo.

E todos esses garotos por quem você se apaixonou? Bem… Eles foram só garotos errados. E o que a gente faz com os erros? Aprende. Aprende senão tudo, a pelo menos não cometer os mesmos erros de novo, e de novo, e de novo. Não importa quão cativantes sejam aqueles olhos, não importa quão macia soe a voz.  Se sentir cheiro de trapaça, se sentir jeito de encrenca, não recomece o ciclo, não insista no erro. Apenas pule fora garota. Eles são só garotos errados. Não foram feitos para você! Sorte a sua! Azar tooodinho deles! ❤

Ps: Ah, e ficar procurando defeitos na “amiguinha” não vai ajudar. Apenas coloca na lixo e deixa lá. Passado é passado por algum motivo. O maior deles talvez, porque nunca mereceu de fato, permanecer sendo presente. 🙂

Anúncios

Diz aí que eu te escuto

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s