the rules of love

tumblr_nryl4hf2gj1qgylk8o1_500

 

Clique aqui, para ouvir Love me Now – John Legend. Enquanto lê ❤

 

A primeira regra do amor é, não ter regra alguma. Exatamente isso. Não algemar o amor em regras tolas e sufocantes. Se permitir amar além, dizer em alto e bom tom, quantas vezes forem preciso dizer: QUE SEJA LEVE, QUE SEJA AMOR, QUE SEJA. O amor é feito de sutilezas, pequenos detalhes imperceptíveis a maioria dos olhos. Olhos esses tão distraídos, tão obcecados, tão preocupados em cercar o amor numa armadilha, como se ele fosse a caça do dia.  Olhos tão tolos, eu diria. O amor é feito da espontaneidade, do descontraído, do comum. Como aquele sorriso sem jeito, que começa no canto dos lábios e logo depois estampa um ser inteiro. Aquele sabe?  Quando ele sorri sem motivo, onde no final das contas, não se trata mais de um sorriso surgindo nele, mas dele inteiro surgindo em meio a um sorriso. Sem reservas, sem disfarces, sem expectativas. Simples e leve como o amor gosta de ser. As pessoas pensam sentir o amor, mas na verdade é ele quem as sente.

O amor sente quando ainda não é hora de chegar, da mesma forma que sente quando ainda não é hora de partir. E quando ele chega, você apenas sabe. Sabe que apesar da rotina continuar a mesma, apesar de você ainda ser a mesma, apesar de tudo ainda estar no lugar onde sempre esteve, agora é você sem ser sozinha…Finalmente. É rotina compartilhada, é você sendo você, aprendendo novas formas de ser você e mais alguém. É encontrar lugar para todas as suas velhas coisas e as novas de quem chega. O amor é naturalidade, cabelo bagunçado dizendo bom dia. Gosto de café no beijo de olá. E cheiro de saudade no abraço de até logo, onde quem vai sempre deixa um rastro de perfume, só para deixar bem claro que vai voltar em breve. O amor é letra de música cantada errada. É pegar a estrada com vento batendo no rosto. É caminhar descalço na terra molhada logo após a chuva, e saber que sempre, independente do tempo, sempre vai ter alguém ali… Segurando a sua mão. O amor é feito de proporções pequenas, as pessoas são quem o enaltecem. É feito assim, pequeno, humilde, singelo, para não deixar de ser compatível com o coração de qualquer pessoa que o aceita.

E amar alguém não é estar sempre no controle. Pelo contrário, é perder completamente o controle das coisas. E nem por isso se sentir perdido, ou fraco, ou vulnerável. E como é maravilhosa a sensação de não ter controle algum nas mãos. Talvez seja essa a famosa liberdade. A liberdade de estar com alguém, que não lhe corta as asas para lhe fazer ficar. Mas sim, alguém que lhe auxilia no voo, na certeza de que cedo ou tarde você vai retornar. E nada, absolutamente nada, vai ter mudado de lugar. A única certeza do amor é que ninguém se arrepende por amar, sejam quais forem as consequências. Vai ter choro? Vai. Quem sabe alguns mais do que os outros. Mas vai ter sorriso também, inúmeros deles. E as gargalhadas então? Ah, aquele som do sorriso dele ecoando por todo cômodo e me fazendo sentir mais viva. Isso é amor. Não há regra alguma que faça o amor durar, ou que faça o amor dar certo. A única regra é amar. Por inteiro. Com coragem!

Porque apesar de simples, o amor assusta. Talvez até pela forma de como é possível, algo tão simples tornar alguém tão feliz… O fato é que o amor, é feito para os corajosos. E para aqueles que confiam que seja lá o que acontecer durante o caminho, seja no início, meio ou no fim, tudo, absolutamente tudo vale a pena no amor.

 

QUE SEJA LEVE, QUE SEJA AMOR, QUE SEJA. ❤

 

Anúncios

Diz aí que eu te escuto

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s