the wars are pray and believe, not more that it.

c33d54293efb6251ba9daaa3efed70c2

Clique aqui,  para ouvir I Forget Where We Were – Ben Howard. Enquanto lê!

Quando nos deparamos com a guerra é normal ter o desespero como a primeira reação. Você pensa: ‘eu não quero isso’. Teme a vida. Teme a batalha. Teme as feridas. Teme não ter forças. Teme não voltar e então ainda teme, os que ficam no aceno demorado pelo retrovisor do automóvel. E se eu nunca mais regressar? E se esse dia que vai chegando ao fim for meu último dia. Se for fim duas vezes. E se? Você nunca saberá as repostas. Aliás. Surgem milhares de perguntas sem respostas. Você se sente um completo incompreendido. Um fantoche nas mãos do destino, que silenciosamente determina no tempo dele, o seu tempo.

A guerra não tem piedade. Não espera você estar preparado para acontecer. Ela as vezes nos pega de surpresa. Num dia você tem calmaria, brisa gélida de outono e folhas secas caindo no jardim. E no outro um céu cinza, e um dia totalmente sem cor. A calmaria dá lugar aos trovões, as bombas, aos pensamentos inquietos que sua cabeça insiste em reprisar para não te deixar esquecer. Como quem diz: ‘hey, a batalha começou. Empunhe logo a sua espada’. E então você obedece. Empunha a espada, veste a armadura e sai a luta. Olhando nos olhos do inimigo. Sem saber quem sairá ileso do confronto de lâminas afiadas, de uma espada na outra.

É, a guerra realmente começou. O alistamento nem sempre é voluntário. Às vezes a guerra escolhe o soldado. E não vice versa. Mas não se desespere caso a notificação na porta de casa diga que o ‘país precisa de você’. Pelo contrário, se sinta forte. A guerra pode ser difícil, dolorosa, mas nunca leviana. Se ela te escolheu é porque você é um soldado capaz de brigar com ela de igual para igual. Tenha fé. Não se sinta diminuído. Não se sinta minoria. Não se sinta pequeno diante do perigo. Se sinta capaz. Você é capaz, soldado. É filho da guarda pessoal de um Rei extremamente poderoso, um rei que olha por você. Com os olhos ternos de um pai e o cuidado de um chefe da guarda experiente.

Você está bem amparado, tem um exército real lutando a seu favor. A guerra é quem deveria se amedrontar diante de tamanha força. Não, não amoleça. Não deixe seus olhos marejarem à toa, não se dê por vencido antes mesmo de começar a lutar. Vai doer? Nós sabemos que vai. Algumas vezes será como a lâmina entrando na sua pele sem a menor piedade ou pudor. Você vai sentir a pele rasgando vai sentir o calor do seu próprio sangue sujando a pele exposta. Vai doer e muito. Não se pode negar. Não se pode enfeitar a história dizendo que a guerra não traz dor, dizendo que a guerra não causa ferimentos e que dela todo mundo sai ileso.

É preciso encarar com os olhos bem atentos à realidade que nos é imposta. A guerra que nos é travada. Os ferimentos cicatrizam, o sangue estanca e os machucados melhoram dia após dia. Sim a melhora também vem, às vezes tão tardia, às vezes quando você já está desistindo, baixando a guarda e se dando por vencido. Ela sempre vem. E lava corpo e alma. Te faz perceber novos ângulos, novas estratégias de ataque, te faz ter fé outra vez. Mais uma vez. Por isso levante, a autoestima, a cabeça, o corpo desse chão. Se erga. Peça forças ao Rei e acredite que ele vai atender seu pedido. Um Rei nunca esquece ou ignora o pedido de um filho. Faz parte da magnitude, da grandiosidade de um Reinado.

A guerra às vezes acontece em terrenos diferentes, quando em um já está no fim às vezes no outro só está começando. Você precisa ter força em dobro, fé em dobro, acreditar em dobro para se fazer dois e lutar pela vitória que lhe foi apresentada. A guerra está aí agora. Acontecendo dentro de você. E muitas vezes você ainda nem sabe que foi convocado. Às vezes a correspondência atrasa e quando chega bagunça tudo a que já estávamos acostumados. Bagunça a nossa vida e a de quem amamos. Eu sei que a batalha é difícil, sei do quanto você está ferido, sei que as alianças não são das melhores e as perspectivas de vitória parecem tão poucas. Mas não permita. Eu repito, não permita que seus pensamentos se sujem de mas vibrações e faltas de fé.Não tenha medo. Confie que o melhor está por vir.

Nessa guerra você vai se deparar com muitas pessoas. E principalmente muitos tipos de olhares. Alguns olhares que vazarão de dentro daquelas armaduras reluzentes, te farão se sentir pesado, deprimido, te farão ter pena de você mesmo, te farão derrotado as vezes até sem dizer uma única palavra. É uma ameaça silenciosa ao seu equilíbrio. Uma apunhalada pelas costas no seu menor descuido. Não se deixe atormentar por olhares apiedados. Sorria. Faça esses olhos sentirem pena de si mesmos por lhe encararem dessa forma. Tenha pena dos olhos que te fitam e não de ser fitada por eles. O campo de batalha é assustador, algumas pessoas simplesmente não tem forças para lutar ao seu lado, não as condene. É natural. Faz parte de quem elas são, assim como toda essa força faz parte de quem você é. Um alguém forte. Um alguém capaz. Um alguém que não se auto apiedou diante de um espelho.

Essa guerra muda muita coisa em você, e todos nós sabemos o quanto a mudança causa insegurança. E o quanto a insegurança traz medo. A mudança é visivelmente física, mas só você sabe o quanto muda por dentro também. Só quem já pisou nesse campo de batalha sabe o que é se sentir inteiro e por tantas vezes, metade, ao mesmo tempo. Ainda é você ali, mas já não se pode dizer o mesmo dos seus pensamentos. Tantas vezes tão embaralhados, tantas vezes tão positivos, outrora tão negativos. Parece que os ataques ao inimigo não fazem surtir o efeito esperado. Logo depois parece que a guerra está quase chegando ao fim. E você nunca sabe qual será o seu próximo passo, ou o seu próximo confronto. Você nem sequer sabe se terá forças para chegar lá.

Por isso eu só quero que me prometa, sair desse campo de batalha sendo você. Não importa o jeito ou a forma como encontrar para ser. Apenas seja você. Quero que encare essa guerra como um verdadeiro soldado, que vê na espada usada na luta uma melhor amiga, uma cura, uma libertação. E quando se sentir tão assustado que o mundo comece a querer te engolir vivo, não tenha medo. Feche seus olhos. Respire fundo. E depois respire outra vez. Então abra seus olhos e contemple aquele pôr do sol. Vê como é grandioso? Perceba o quão vivo você está. Não enfraqueça sua fé, tentando se fortalecer. Não menospreze o tempo e os planos que ele lhe reservou. A guerra é árdua eu sei. Mas você é filho do Rei. E um filho real não deveria temer, quando se está cercado de milhares de soldados munidos de asas e um Rei que também é Deus e nunca se descuida de você. Acredite. Afie a lâmina da espada e lute. O Rei está lutando ao seu lado. Então haja o que houver a sua maior certeza, é que você nunca vai perder. Não há como sair derrotado dessa guerra se você acreditar.

Anúncios

Diz aí que eu te escuto

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s