Don’t be afraid, you are all for me

estilo-catraca-livre-casais-intimidade-maud-chalard-1

Clique aqui, para ouvir Songbird – Matt Corby. Enquanto lê! 🙂

Quando você estiver tão triste, tão triste que nem sequer consegue mais reconhecer quem você é. Tente quem sabe, emprestar um par de olhos alheios. E munido desse novo olhar, se posicione em frente a um espelho qualquer, veja como são seus traços, seus trejeitos, seus defeitos. Veja como um simples  olhar misturado ao sentimento te faz transparente, te faz novo, te faz quem você realmente é. Veja o quanto você é perfeito para esse par de olhos que te fita no silêncio. Veja o quão feliz você é por ter alguém por perto, alguém que te veja da forma como eu te vejo. E se alegre por isso.

Quando você estiver se sentindo diminuído, pequeno e impotente. Multiplique tudo em você por dois. Quatro braços. Quatro pernas. Dois corações. Quando aquele objetivo estiver alto demais, que mesmo já na ponta dos pés, suas mãos ainda não consigam alcançar, me chame. Não, por favor, não tenha receio. Apenas me chame. Meus braços longos hão de servir para alguma coisa afinal, Me deixe completar com as minhas mãos, a distância que falta entre você e aquilo que mais almeja. Me deixe ser seu ‘power bank’, sua carga extra, sua força, seu ponto de apoio. E se sinta capaz por isso.

Quando você estiver cansado de escrever novas histórias. Me deixe escrever um trecho da nossa. Me deixe te contar como é, ser você para mim.  Me deixe incitar sua imaginação relembrando o dia em que nos esbarramos naquele metrô. Quando a vida parecia não ter pretensão alguma para nós dois, além daquela de nos fazer dividir por alguns minutos a mesma viagem, o mesmo caminho, o mesmo destino. Sem saber que aquelas duas vidas errantes, erradas e completamente desnorteadas, achariam no fim daquela estação um norte, afinal. Um sentido que vale a pena seguir em dois. Uma viagem na qual não teria graça alguma seguir sozinho. E se sinta grato por isso.

Quando você estiver sem sorrisos, e toda sua cota de gargalhadas já tiver se esgotado. Me deixe te mostrar onde há mais sorrisos escondidos em você. Posso desenferrujar meu velho repertório de piadas. Posso te fazer cócegas. Posso quem sabe, te contagiar com alguns sorrisos meus. Não eu não quero arcar seus lábios com meus indicadores e forçar sua expressão a parecer um pouco mais feliz. Pelo contrário, quero que perceba que é possível sim, sorrir mesmo quando a vida insiste em arrancar de você lágrimas e esconder todos os seus sorrisos. Seja teimoso. Seja persistente. Desafie a vida e aposte num sorriso. Aprenda a ver em mim um reflexo de você, aprenda a ver nos meus sorrisos os seus, e na minha vida um sorriso seu, como sendo a melhor parte do meu dia. E se sinta especial por isso.

Quando você estiver quase desistindo de você. Quando estiver tão irritado a ponto de perder a cabeça. Quando a rotina e o emprego que definitivamente não veio dos seus sonhos, apagarem você, sufocarem você, engavetarem todos os seus verdadeiros sonhos. Quando o manequim já não for o mesmo. Quando o ‘fast food’ substituir o seu jantar. Quando a ida ao cinema for ficando cada vez mais planejada e menos realizada. Quando o livro de cabeceira ficar dia após dia inacabado. Quando o sono lhe ocupar quase todos os horários vagos. Quando seu violão já estiver quase sem cordas. Quando o sol incomodar os olhos de manhã. Quando a sua música favorita já não for mais sua.

Quando aquela pedra no seu sapato incomodar. Quando o espinho da roseira ferir a pele frágil do seu polegar. Quando o seu melhor perfume atacar sua rinite. Quando a academia estiver quase uma assinatura mensal de algo que você nem lê. Quando você se sentir do avesso e até um pouco errado. Quanto tudo que você conhece de repente parecer incrivelmente estranho e inóspito. Quando você estiver perdendo, entregando os pontos e empurrando para o escuro todas as suas antigas certezas.

Eu ainda vou estar por aqui. Eu ainda vou estar com você. Então não adianta me pedir para desistir. Não adianta tentar me amedrontar com lençóis brancos e voz mudada, tentando erroneamente parecer mais assustador. Eu não tenho medo de alguns dias ruins. Não tenho medo das suas crises de vinte e tantos. Não tenho medo de amar você. Mesmo sabendo que o amor assusta um pouco. Por isso, se sinta alegre, capaz, grato, especial, por sem quem você é. Por ser exatamente do jeito que eu sempre te vi sendo você para mim.

Anúncios

Diz aí que eu te escuto

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s