Se estiver pensando em se apaixonar… Leia!

165802_250398761736277_1853482804_n

Eu vou fazer de tudo para você desistir. É bom que saiba disso, desde o início, talvez saber facilite as coisas, talvez não. Não é que eu não goste de você. Eu juro. Eu posso até estar gostando, e quando isso acontecer, inevitavelmente eu vou estar morrendo de medo também. Medo é normal, você vai dizer. Não, nada em mim é normal. As coisas por aqui parecem não gostar de seguir regras. Ou quem sabe, apenas não botem fé mais, nelas. Regras são assim. Precisam ter sentido, mostrar resultados. É isso que te inspira a não sair quebrando cada uma delas por aí. Mas de alguma forma, eu costumo ter o dom de quebrar todas as regras possíveis. Talvez nada tenha feito muito sentido ultimamente. Se não estiver disposto a conhecer minha bagunça. Eu te aconselho à não entrar. Aqui as coisas são assim, casa, coração e humor. É tudo uma bagunça só, daquelas que você não entende sequer por onde começou.

Eu vou fazer de tudo para te tirar do sério. Sim. Não é por maldade. Eu realmente preciso que você entenda isso. Mas, metade de mim é drama e a outra metade também. Gosto do choro, aquele que fica lacrimejando nos olhos, só esperando o momento exato de despejar um turbilhão de lágrimas molhadas e chorosas. Sou assim. Meu sorriso pode ser contado nos dedos, nunca gostei da forma como ele se apresenta em frente ao espelho mesmo. Talvez tenha apenas me desacostumado a sorrir despretensiosamente por ai. Ou quem sabe, eu goste é das emoções a flor da pele. Do doce do beijo se misturando gota a gota no amargo da discussão. Reconciliação. Vozes exaltadas, amor exposto, sentimento colocado à prova. Se você não gostar de uma batalha, é melhor não pedir para entrar na guerra meu rapaz. Teimosia é pior que granada sem pino arremessada na sua direção. Não há para onde correr. Você vai precisar pensar rápido e enfrentar. Me enfrentar. E seu amor pode não estar preparado. Então respire.

Eu vou fazer de tudo para estragar tudo. Não é algo que eu planeje fazer. Não sou tão fria e calculista assim. É questão natural. Instinto de sobrevivência. Hábito que o tempo e as feridas adquiridas me fizeram aprender. O que te deixa mais vulnerável do que o amor? Nada meu caro. Nada. Amor nos expõe como ladrões caminhando despidos de qualquer traje até a forca. Exagero? Que nada. Não deixamos de ser ladrões. Afinal, roubamos para nós muitas vezes, sentimentos que nunca foram nossos.E nós próprios nos enforcamos no final, sem saber. Quem é que pede permissão para se apaixonar? Ninguém. Mas deveriam. O amor deveria vir com uma regra, deveria vir somente para os dispostos. Mas quem sou eu para falar em regras. Elas não funcionam comigo.

Eu poderia estar aqui, te falando sobre todas as minhas qualidades. A forma como meus olhos mudam do castanho mel para o verde mar no sol de verão. É realmente bonito. Mesmo. Ou, poderia simplesmente te contar sobre a minha paixão por praias ao anoitecer. Gosto do vazio da areia, e do barulho das ondas, sem o burburinho de turistas para atrapalhar. Ah, eu também posso te dizer que cerveja e futebol? Por mim tudo bem, eu adoro a cerveja, o futebol é com você. Posso apenas torcer. Sou uma pessoa simpática, e quem não é? Tenho qualidades e poderia apresentar um discurso convincente sobre cada uma delas. Mas eu gosto dos avessos. Gosto do que desconcerta, do que nos põe contra parede. Gosto do espetáculo por completo. Não só o que acontece em meio ao abrir de cortinas vermelhas. Eu gosto do improviso da coxia, do detalhe escondido, da sensibilidade ameaçada.

É por isso que eu estou aqui. Colocando defeitos e cartas na mesa. Prazer. Essa sou eu. Se de alguma forma, todo meu escuro não cegar teus olhos aos meus feixes de luz. É porque você é realmente o cara certo. Ou não. Quem sabe você seja apenas um cara muito esquisito, que se apaixonou por uma guria mais esquisita ainda. Quem vai ligar? A essa altura do campeonato já seremos dois. E caminhar em par é sempre mais fácil. São duas mãos a mais, duas pernas a mais e o principal: dois corações, onde antes havia um. O medo nos trava. O histórico de sentimentos errados, acaba de alguma forma nos enferrujando para amar. Nos fechamos em uma bolha e vemos os dias passar, de um ambiente quente e aconchegante. Logo eu, que sempre gostei do inverno, porque nele, os abraços esquentam, corpo e coração. Logo eu.

É, eu vou fazer de tudo para você ir embora. E cada olhar seu em direção a porta, vai fazer minha garganta se fechar em nó. Frases soltas e embaralhadas te pedindo para ficar. E ai a escolha vai ser sua. É sempre sua no final. Eu sei que eu assusto no início. Sei que a minha intensidade alguns dias pode até te sufocar. E eu sei como é. eu detesto ser sufocada também. Mas entenda. Eu não sei amar pelas beiradas, eu mergulho logo de cabeça. Não importa se eu sei ou não nadar. Você pode estar se arrependendo agora. Você pode estar se apaixonando agora. Se estiver realmente preparado para o duelo, empunhe seu sabre de luz e que a força esteja com você!

 

t.

Anúncios

Diz aí que eu te escuto

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s