Quando foi que você parou de sonhar?

198405_253846941391459_1783010232_n

Quando foi que você parou de sonhar? Aos 10 anos de idade eu sonhava em ser astronauta. O espaço parecia ser escuro e assustava um pouco. Ainda mais quem ainda dormia com a luz acessa, por que as sombras gostavam de brincar de monstros no seu quarto a noite. Mas mesmo assim queria ser astronauta. Era meu grande sonho infantil. Não estar preso a gravidade, flutuar, pisar na lua na versão mais modesta de Neil Armstrong.

É, esse era meu sonho. Eu só não lembro aonde foi que eu o perdi. Em que parte do caminho ele caiu. Ficou ali, escondido pela poeira dos sapatos apressados, com horário para chegar ao trabalho, com o trânsito, com a lista de supermercado e para completar com uma terrível dor de cabeça.

Quando foi que você parou de sonhar? A partir de determinado momento da vida, confundimos sonhos com objetivos financeiros/materiais, outrora os mesclamos e tem vezes ainda que nem sabemos mais a diferença entre eles. O sonho vai perdendo seu lado fantasia, você deixa de usar a imaginação, e pouco a pouco perde a magia de quem sonhava como criança.

O sonho se torna então material. Cobiça. Barganha. Ganha forma, se torna cada vez mais palpável e menos ‘sentido’. Alguns sonham em conseguir aquele carro maneiro, aquele que acabou de ser lançado no comercial depois do jornal das oito. ‘O carro dos seus sonhos’ frisava o comercial. Ai você pensa… Poxa, meu sonho é ter esse carro. Ter. Possuir. Comprar. Dinheiro se tornou moeda capaz de comprar mais do que bens materiais. Agora dinheiro compra também sonhos.

Afinal, isso hoje em dia não é quase a mesma coisa? Para alguns é. Quando foi que você parou de sonhar? A vida com o passar dos anos vai ganhando um pouco mais de pressa. Um pouco mais de rotina. Um pouco mais de trabalho para fazer em casa. Agora levamos trabalho para casa e os colocamos na cabeceira ao lado da cama, perto do travesseiro. Quase tão perto de onde antes vinham os sonhos. Ironia não? Não.

Irônico é perder o jeito de sonhar. Admita você perdeu o jeito. Admita, somos amigos eu não vou te criticar. Quem nunca perdeu fé na fantasia da vida em mais um daqueles dias cheios, que atire a primeira pedra. Ninguém? Pois é.

Faça uma redação sobre: o que você sonha ser quando crescer. Todo mundo fez um dia uma redação com esse tema. E ai? Você é quem você sonhou? Nem ao menos se lembra qual era o sonho? Engavetou. Jogou fora. Riu da letra miúda na folha com picotes. E pensou: sonhos tolos de criança. Como crianças são ingênuas não é mesmo. Algumas sonhavam até em ser astronauta. Ou seríamos nós adultos os ingênuos agora? Capaz de achar que sonhos materiais têm chance de nos levar a algum lugar. Ingenuidade pura.

Você conquistou aquele carro da propaganda depois do jornal das oito. Mas e agora? O sonho acabou junto com a última prestação do carnê. Carnê esse que você teve que trabalhar ainda mais para pagar, mais correria. Mais estresse. Mais pressa. E o sonho? Quando foi que você parou de sonhar? Nos esquecemos que a maturidade misturada a fantasia ainda é saudável. Quisera pudéssemos ser adultos com a alma de uma criança. Essa seria a maior das dádivas já conquistadas pelo homem. Alma de quem nunca deixa de sonhar. Sonhar com emoções. Sonhar com pureza. Sonhar com sentimento. Sonhar com o coração e menos com o bolso.

Sonhe em sair antes do trabalho, chegar em casa e viver junto da sua família os sonhos de verdade. Pare com essa besteira de trabalhar até tarde, por achar que sonho é comprar aquela roupa de marca para namorada. Aquele brinquedo do momento para o filho. Sonho é mais que isso. Não seja tolo de menosprezar algo tão grande quanto sonhar. Alguns filhos só sonham mesmo em ter os pais mais cedo em casa. Algumas namoradas só sonham mesmo com um amor valorizado.

E você valoriza seus sonhos? Pare de colocar toda essa moral no dinheiro. Ele não é seu senhor, não é ele quem dita as regras, não é ele quem determina o que você deve ou não sonhar. Para a vida funcionar, precisa explicitamente ser o contrário. Você deve ser senhor se si mesmo. Dite as regras. Mas não as crie para os sonhos. Não existe idade mínima para sonhar, muito menos idade máxima. Depois dos 30 pode também. Aos 5 anos de idade mais ainda.

A  fantasia é como combustível sustentável, existe, você sabe que faz bem, mas insiste em usar combustível comum, por mero receio de mudar, mas que isso, por mero comodismo. Quando foi que você parou de sonhar? Sonhe mais. Viva mais. Pare com essa mania tola de fazer planos. Comece a exercitar a maravilhosa mania de ver a vida com outros olhos, abra seu coração, se permita. Resgate em você um pouco daquela criança que sonhava em ser astronauta, jogador de futebol, bailarina. Sonhe. Sonhe. Sonhe. Quando foi que você parou de sonhar?

 

t.

Anúncios

Diz aí que eu te escuto

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s