Solidão? Não rima com tristeza não.

tumblr_ldqdxcrW111qdd4ago1_500.jpg

As pessoas se assustam ao ouvir falar em solidão. Como se solidão fosse uma doença infecto contagiosa, prontinha para atacar a próxima vítima. ‘Você escolhe demais, vai acabar sozinho’. Dizia a mãe para o filho que há três anos ainda estava sem namorada. ‘Na sua idade eu já estava casada’. Dizia a tia para a sobrinha de vinte e cinco anos que ainda estava solteira. Aí você me pergunta porque?

Porque as pessoas tem essa ânsia de ver a vida somente em pares? Será que ninguém mais consegue ver a vida acontecendo sendo um só? Isso é possível. Não só é possível, como é real. As pessoas não precisam se prender em relacionamentos vazios e monótomos, que visivelmente não dão certo, para mostrar ao mundo que ‘opa, estou vivendo’ e ‘nossa estou tão feliz’. Não é um status em rede social. Não é uma reserva no seu restaurante preferido no dia dos namorados. A felicidade é simplesmente, algo que não depende de outra pessoa além de si próprio. Já pensou nisso?

Alguém não é triste só porque é sozinho. Estar sozinho pode não  ser necessariamente castigo, muitas vezes é só uma opção. Uma opção diga se de passagem muito simpática. Só não consegue conviver com a solidão, aquelas pessoas que colocaram na cabeça que tudo na vida é uma metade. Um metade imersa numa busca desesperada por um inteiro. E a vida toda passa a se resumir nessa busca. Uma busca que nem elas mesmas sabem o que estão procurando de fato.  Pessoas estacionadas a margem da vida, esperando aquela tal pessoa ‘certa’ passar e juntas viverem um felizes para sempre. Quanta besteira.

Você não precisa se sentir incompleto, só porque ainda não encontrou a pessoa certa. Você já é inteiro. Um inteiro que em determinado momento da vida, numa sintonia despretensiosa e natural, vai esbarrar com outro inteiro por aí. Um inteiro tão parecido com o seu. Um inteiro que vai finalmente despertar a vontade de caminhar lado a lado com esse alguém. Sem amarras. Sem necessidades. Sem metades.

‘Eu preciso de você’. Você não precisa de ninguém além de si mesmo. Coloque isso na sua cabeça. Se você sente necessidade de outra pessoa para ser feliz, então saiba que você jamais será feliz de fato, não importa a pessoa que venha estar ao seu lado. É preciso sim. Não outra pessoa. Mas aprender a ser feliz sozinho em primeiro lugar. Se você não consegue ficar sozinho consigo mesmo sem enlouquecer, fazer outra pessoa conviver com a sua presença é crueldade. Não venha assombrar meu eu, com os fantasmas da sua infeliz solidão. Veja seu reflexo no espelho, consegue ver alguma metade? Eu acredito que não. Então pare de procurar por ela. Não existe metade alguma.

Jogar a sua felicidade, embrulhada em um vistoso laço vermelho nos braços de outra pessoa, e dizer ‘toma, me faça feliz’, além de ingenuidade é burrice. Na maioria das vezes a outra pessoa, nem mesmo vai saber o que fazer com aquele presente, de grego. E sua felicidade vai ficar lá, de laço vermelho intacto, empoeirado. Esperando a boa vontade alheia de lhe fazer feliz. Esperar do outro, algo que tem que partir de si próprio, é o pior tipo de espera sem chegadas. Você fica lá, esperando, esperando. E sabe se lá, por quanto tempo ainda vai estar esperando a famosa felicidade chegar.

Por isso não se sinta sufocado, ao ver  mais um aniversário chegando sem a tal aliança de compromisso no dedo. Algumas pessoas o tem e são mais vazias que você, pense nisso. Desvie os olhos daqueles olhares que se dizem juízes, prontos para lhe dar a sua sentença. Sem ao menos saber se você quer ouvir ou não. Sem ao menos lhe dizer o porque mesmo, de você estar sendo julgado. A solidão não é doença. Muito menos atestado de tristeza. ‘Eu estou feliz, mundo, se é isso que vocês querem saber. Não tenho namorado. Mas também tenho vida, sabia? Uma vida cheia de planos, cheia de sonhos e aspirações para o futuro.’ Diga isso. Repita isso. Até fazer com que eles entendam.

E não, o relacionamento não é um plano para o futuro. Planejar algo que não depende de si mesmo é o primeiro passo para o fracasso. Se acontecer, okay. Senão, okay também. Não coloque a sua felicidade, à espera de alguém que pode ou não chegar. Não fique a mercê de um destino, esperando uma metade para viver um pseudo inteiro.Você é o inteiro, e já está vivendo. Sem ansiedades bobas. Sem companhias desesperadas. Sendo você consigo mesmo. Até o dia em que um será dois. Quando assim tiver que ser. A vida é tão rara e o relógio que a rege tão apressado. Não podemos nos sentir no direito de perder tempo, esperando por uma tal felicidade, que ninguém além de nós mesmos, é capaz de nos dar.

A minha solidão é tão inteira. Uma solidão tão inteira que até é capaz de ferir certos acompanhados por aí. Acompanhados tão sozinhos e vazios, que chegam até a invejar quem antes lhes parecia tão triste. O aparente triste, vendo bem de perto, de perto mesmo, se mostra tão mais feliz que eles próprios. Que isso chega até a assustar. Seja feliz! Viva feliz! E um brinde a nossa tão querida solidão.

 

t.

Anúncios

Diz aí que eu te escuto

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s